top of page

Professora Antonieta de Barros, heroína brasileira

Mergulhe na história da responsável pela instituição do Dia do Professor e da Professora no Brasil


Precisamos homenagear e difundir a história da professora e dona de escola, escritora, jornalista/colunista catarinense Antonieta de Barros. Maria da Ilha (pseudônimo adotado por ela em diversas publicações) foi alfabetizada depois de adulta e militou pela igualdade de acesso à Educação como único caminho para o melhor futuro brasileiro.


Defendeu pautas voltadas para a alfabetização e o ensino, a cultura negra e a independência feminina, além da igualdade salarial entre mulheres e homens na educação. Foi responsável pela lei estadual de 1948 para a instituição do feriado escolar do dia do professor, em 15 de outubro, em Santa Catarina. O motivo da escolha desse dia foi o decreto de D. Pedro I em 1827 para a instauração do Ensino Elementar no Brasil. Em 1963, o presidente João Goulart decretou a validade do feriado escolar em âmbito nacional.


Antonieta de Barros foi a primeira mulher negra a se eleger deputada estadual no Brasil e a primeira mulher eleita para esse cargo em Santa Catarina, em 1934. Porém, somente este ano foi inscrita no Livro de Heróis e Heroínas da Pátria, quando sancionada a lei 14.518/23.


Antonieta de Barros biografia

Saiba mais sobre Antonieta de Barros



Clique na imagem para informações sobre a biografia de Antonieta de Barros por Jeruse Romão.


Aqui você acessa todas as postagens do Portal Geledés sobre Antonieta de Barros.


Antonieta de Barros também está no acervo de autoras do Portal da Literatura Afro-Brasileira da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).


Assista ao curta-metragem "Caminhando com Antonieta de Barros", produção do Centro de Educação a Distância da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Viva Antonieta de Barros! Viva a professora, viva o professor!

Por Carol Assunção, Jornalista, Consultora, Pesquisadora e Professora

Escafandro Cursos Livres

Comments


bottom of page