top of page

Suas habilidades socioemocionais estão em dia?

"Tem razão quem fala com a voz do coração"*


Desenvolver a capacidade de identificar, entender e lidar com as próprias emoções é algo que deveríamos aprender desde a primeira infância. Algo a se elaborar ao longo de toda a vida, durante a rotina escolar, familiar e profissional. Certamente isso nos pouparia de problemas desnecessários além de ser importante para a saúde mental, assunto de destaque no janeiro branco.


Pensei melhor no assunto após participar de um curso para educadores socioemocionais, minha função na Escola do Cerrado (EDC - sobre a qual já falei neste blog). Tivemos a oportunidade de fechar o ano de 2023 como alunas(os) do programa de desenvolvimento educacional Ensinando a Ensinar, da ONG Gerando Falcões, graças à excelência da liderança da EDC representada pela querida Mariza Morgado. Aprendemos estratégias pedagógicas e habilidades socioemocionais com as educadoras Ana Lopes, Dani Lira, Lucinéia Garcia e Thays Barbosa. Elas são demais!


cartaz filme divertidamente animacao socioemocionais

Compartilho aqui trechos das minhas tarefas sobre inteligência emocional e habilidades socioemocionais. Talvez possam ajudar você também com reflexões e referências para se aprimorar neste ano que começa.


Conseguir identificar o que estamos sentindo e por que motivos é essencial para a construção da autoestima e o autoconhecimento.


Tem a ver com os cinco pilares presentes na roda CASEL - Collaborative for Academic, Social, and Emotional Learning:



  • autoconsciência,

  • autogestão,

  • consciência social,

  • gestão de relacionamentos

  • e tomada de decisão responsável.


E ter esses aspectos bem desenvolvidos melhora a qualidade de vida, pois nos ajuda a cuidar de nós mesmos, dos nossos relacionamentos, a desenvolver a empatia e a fazer escolhas conscientes.


A professora Lucinéia Garcia compartilhou leituras de base para a compreensão da inteligência emocional em diferentes ambientes (links no final do post) e falou sobre como o filme Divertida Mente (Inside Out, Pete Docter, 2015) ajuda a entender as emoções.


Lembrei-me logo da produção da Disney Reason and Emotion (1943), um curta-metragem de propaganda ideológica sobre a Segunda Guerra Mundial dirigido por Bill Roberts - o mesmo de Fantasia, Pinóquio, Dumbo e Bambi, entre outros. O curta também já foi indicado como uma das inspirações para a realização de Divertida Mente, assista:


Neste vídeo, faço uma breve análise da animação com sugestões sobre como usar em sala (vale para qualquer outro ambiente, do familiar ao organizacional) para trabalhar habilidades socioemocionais, além de questões sobre gênero e desinformação:



O olhar sobre a representação da mente auxilia na compreensão e na construção de nossa inteligência emocional para viver com mais esclarecimentos sobre quem somos e quem podemos ser.


Quais são as suas Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças socioemocionais?

A análise FOFA ou SWOT, utilizada com frequência para a criação de modelos de negócios, também foi mencionada no curso como ferramenta útil para a construção da inteligência emocional.


O exercício consiste basicamente em:

  1. Tentar identificar nossas forças e as oportunidades que elas nos dão;

  2. Observar nossas fraquezas e as ameaças que elas podem colocar em nosso caminho.

Podemos estabelecer, assim, metas mais claras que explorem positivamente nossos potenciais, além de mapear habilidades e competências a serem melhor lapidadas. Uma boa atividade para começar 2024, não? Acesse este link para ver como funciona em detalhes e seguir o passo a passo conforme o modelo.

*Escolhi como subtítulo para este post um verso da canção Coincidências e Paixões, composição de Marcelo Falcão e Marcelo Santana gravada pelo grupo O Rappa em 1994.


Links e referências

Saiba mais sobre a Escola do Cerrado - e apoie! Publicações mencionadas no vídeo de análise de Reason and emotion:

AMOSSY, Ruth. A Argumentação no Discurso. São Paulo: Contexto, 2020.

CHARAUDEAU, Patrick. Une problématisation discursive de l'émotion: à propos des effets de pathémisation à la télévision. In: PLANTIN, C.; DOURY, M.; TRAVERSO, V. Les Émotions dans les interactions. Lyon: Presses universitaires de Lyon, 2000. p. 125-155.

PARRET, H. Les Passions: essai sur la mise en discours de la subjectivité. Bruxelles: Pierre Mardaga, 1986.


Leituras indicadas pela professora Lucinéia Garcia:


Em inglês:


Por Carol Assunção, jornalista, consultora, professora e pesquisadora


escafandro cursos habilidades socioemocionais

Comments


bottom of page