top of page

Videoclipes na era da Inteligência Artificial

Música, cultura participativa com I.A. e ética da herança digital


Como típica adolescente dos anos 1990, vivi os tempos encantados dos videoclipes lançados pelo Fantástico e pela MTV. Nunca perdi o fascínio por esse formato de narrativa audiovisual que está ainda mais intrigante com o avanço da tecnologia. Venho estudando bastante sobre os impactos e percursos da I.A. na comunicação. Te convido então para um encontro on-line em que vamos discutir Inteligência Artificial, estética e cultura com uma convidada especial - clique na imagem para saber os detalhes e se inscrever.


Nesse clima tecnológico, relembro aqui alguns exemplos recentes das possibilidades geradas pela I.A. na produção de clipes musicais e dicas de conteúdo para quem quiser se aprofundar.


A recém-lançada música Now and then dos Beatles deu o que falar. A descrição do vídeo no YouTube informa que a canção tem origem em uma famosa demo de John Lennon revisitada por Paul McCartney, George Harrison e Ringo Star durante décadas, a partir de 1995. No clipe dirigido por Peter Jackson, John está representado por imagens de arquivo e pela voz na fita cassete. A edição audiovisual coloca os músicos em em interação com as próprias versões ao longo do tempo.

O polêmico vídeo da campanha da Volkswagen recebeu processo do Conar (arquivado no mês seguinte) e dividiu opiniões sobre a ética na recriação de uma pessoa que já se foi. No fim das contas, parece que a decisão fica a critério da família, mas especialistas em Direito defendem que mesmo com a autorização dos herdeiros, esse tipo de iniciativa tem complicações, pois pode comprometer o legado e a memória da pessoa falecida. O que você acha?

No tempo da intolerância é o nome do álbum póstumo de Elza Soares e da faixa que ganhou um videoclipe com imagens da diva produzidas por Inteligência Artificial. Não encontrei informações mais detalhadas sobre as técnicas e ferramentas utilizadas, mas adorei o resultado. Obs.: pelo que entendi, as faixas do álbum não são resultado de I.A., e sim gravações anteriores à morte da cantora.

Quando a cultura participativa consolidada pela web 2.0 conta com a colaboração da Inteligência Artificial na criação de videoclipes

Há pouco mais de um ano, o canal do YouTube aidontknow criou uma série de vídeos com I.A., entre eles destacam-se clipes para canções do maravilhíssimo David Bowie. As imagens foram produzidas pelo Midjourney a partir dos versos das músicas com pouquíssimas intervenções externas, segundo o canal. Gostei de Starman:

Este clipe da banda Duran Duran foi lançado em maio de 2021 e criado pela Inteligência Artificial Huxley, modelada com base em cognições e emoções humanas. O áudio foi construído com a tecnologia 360 Reality Audio, para uma experiência imersiva com fones de ouvido. A faixa Invisible faz parte do album Future Past. Que tal?

Referências - links úteis

Por Carol Assunção - jornalista, consultora, professora e pesquisadora

Escafandro Cursos Livres

Comentarios


bottom of page